quarta-feira, 2 de agosto de 2017

O Tempo que não temos...

Hoje estava aqui envolvida com mil e uma coisas, trabalhos, preocupações do dia a dia, mensagens chegando, emails, contas... Os dias passam de uma forma tão extraordinária que muitas vezes nem percebemos como avançamos um período de tempo tão grande sem nos darmos conta disso, então em meio a esse turbilhão de multi tarefas me lembrei que tenho um blog, por um minuto resolvi parar tudo e acessá-lo, gosto de ver as coisas que escrevo depois de um tempo, pra ver se ainda penso da mesma forma e se ainda concordo com meus pensamentos antigos, e percebi que eu deveria vir mais aqui, deveria escrever mais, deveria ler mais, me distrair mais, enfim... viver mais!
Se a gente não parar um pouco o nosso próprio tempo, esse que a gente acha que nunca tem, a gente vai deixar de perceber as mínimas coisas que realmente precisamos pra sermos felizes, acho que é por isso que vivemos estressados, cansados, sem paciencia, tendo que respirar fundo diante de qualquer situação controversa, simplesmente porque a gente não para um pouco, a gente não se dá tempo, não consegue estabelecer um paralelo entre o fazer e o deixar de fazer pelo que vale a pena...
Por que to escrevendo isso? sei lá! Talvez porque eu tenha parado um pouco pra me dar um tempo, pra reavaliar minha vida, minhas prioridades, pra entender dentro de mim mesma o que realmente tem valido a pena e o que tem me consumido a ponto de eu esquecer tanto de mim e viver tanto pra agradar a sociedade ao mundo... É bom se dar um tempo, tirar um tempo pra uma conversa franca com Deus todos os dias, ver e rever conceitos... Não deveríamos ser prisioneiros do tempo, nós é que deveríamos controlá-lo... afinal se não for assim, quando teremos tempo?

Silvinha Rocha

O Tempo que não temos...

Hoje estava aqui envolvida com mil e uma coisas, trabalhos, preocupações do dia a dia, mensagens chegando, emails, contas... Os dias passam ...